sexta-feira, 9 de julho de 2010

O JOGO COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO


Os Parametros Curriculares Nacionais (PCN) recomendam a utilização de jogos no ensino fundamental e salientam: "os jogos podem contribuir para um trabalho de formação de atitudes - enfrentar desafios, lançar-se a buscar de soluções, desenvolvimento da crítica, da intuição, da criação de estratégias e da possibilidade de alterá-las quando o resultado não é satisfatório - necessárias para a aprendizagem da matemática."
Nesse sentido, precisamos de jogos que desenvolva não apenas raciocínio, mas também o pensamento matemático.
Por quê, quando e como utilizar jogos e brincadeiras nas aulas de matemática? A resposta para nessa questão está fundamentada na metodologia da resolução de problemas, que busca mo desenvolvimento de uma postura crítica diante de situações - problemas.

Os jogos possibilitam uma discussão matemática, na qual podem ser abordada questões como:




  • Qual a melhor estratégia para vencer?


  • Quais os erros cometidos que me levaram ao fracasso?


  • Se as regras foram modificadas, quais serão as novas estratégias?


  • Quais são os possíveis caminhos para uma mesma jogada?

Assim, para atingir o objetivo do jogo, os alunos desenvolvem uma trajetória que vai desde a leitura e a compreensão das regras até a avaliação e verificação da eficiência de suas jogadas, investigando sempre qual a melhor estratégia para vencer.Essa atitude leva o aluno à formação de um senso crítico e ao desenvolvimento da criatividade para resolver quaisquer problemas. Dessa forma, os jogos assumem papel de fundamental importância dentro de uma concepção de ensino - aprendizagem voltada à metodologia da resolução de problemas.


O professor deverá assumir uma postura de questionador e observador, não interferindo no processo de construção do conhecimento de seu aluno. Levar o grupo à reflexão, a possibilidade de criação de novas hipóteses e estratégias, fazer questionamentos e formular novos problemas são atitudes positivas que constróem um ambiente de discussão e troca de opinião no espaço da sala de aula.


Os conteúdos trabalhados por meio de jogos possibilitam maior envolvimento com conceito que se deseja desenvolver, além de estimular o desbloqueio de alguns alunos em relação à matemática, melhorando a motivação pessoal e a auto estima.


O jogo também pode ser usado como importam te instrumento de avaliação. Ao jogar, os alunos demonstram naturalmente suas dificuldades, o que ajuda no diagnóstico e , assim, na avaliação da aprendizagem.


Referências bibliográficas:


BRASIL. Ministério da Educação e do Desposto. Parâmetro Curriculares brasileiros. Brasilis,1997,1999.


LARA, Isabel Cristina Machado de. Jogando com a Matemática de 5a a 8a série,1 ed , _ São Paulo: Respel, 2003.


BONJORNO, José Roberto, Azenha Regina. - 1. ed. São Paulo: FTD, 2006. - (Coleção fazendo a diferença)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário